Arquivo da tag: #ExpansãoterritorialdoBrasil

MISSÕES JESUÍTICAS.

Ruínas de São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul.

 

A FUNDAÇÃO DA COMPANHIA JESUS.

A Companhia de Jesus foi fundada em 1534 no contexto da Contra-Reforma como uma das medidas para conter o avanço do Protestantismo. Seu fundador foi o espanhol Inácio de Loyola, que após ferir-se em uma batalha converteu-se totalmente à vida cristã.

A missão dos Jesuítas era difundir o Evangelho pelo mundo. A Educação foi um dos instrumentos fundamentais desta pregação. Muitos colégios jesuítas doram fundados na Europa e na América para cristianizar os povos e formá-los na doutrina católica.

 

OS JESUÍTAS EM PORTUGAL E NO BRASIL.

Os jesuítas passaram a atuar nos empreendimentos coloniais portugueses como missionários evangelizadores. Vários jesuítas vieram ao Brasil, os mais famosos foram os padres José de Anchieta e Manoel da Nóbrega, com o objetivo de converter as populações indígenas.

Os primeiros colégios jesuítas foram fundados na Bahia e em São Vicente. Os jesuítas ensinavam retórica, humanidades, gramática, mas utilizavam principalmente a música e o teatro na evangelização dos indígenas.

AS MISSÕES JESUÍTICAS.

Para catequizar os indígenas os jesuítas organizaram em várias partes da América do Sul aldeamentos chamados “missões”. o objetivo dessa ação era transformar completamente o modo de vida dos indígenas, fazendo-os abandonar o politeísmo, a poligâmia e o antropofagismo, além de desvalorizar as funções dos pajés (líderes espirituais).

A porção sul do sub-continente e a região amazônica foram as que receberam a maior parte das missões jesuítas.

A organização interna das “missões” assemelhava-se a militar pela rígida disciplina e pela imposição do modo de vida católico aos indígenas. Os índios praticavam o artesanato, agricultura e a criação de animais. Quanto a catequização dos indígenas a música exerceu papel importante neste processo.


BANDEIRANTISMO.

Quadro "O Bandeirante" de Benedito Calixto

Os séculos XVII e XVIII ficaram marcados no Brasil Colonial pela expansão territorial. Os principais responsáveis por essa expansão foram os Bandeirantes paulistas. Marginalizados econômicamente durante o ciclo da cana-de-açúcar, a região de São Paulo era pobre e dependia de uma agricultura de subsistência e do trabalho escravo indígena.

Pela experiência que tinham no interior da colônia, devido as expedições de aprisionamento de indígenas, os Bandeirantes paulistas tornaram-se a esperança da Coroa Portuguesa para encontrar reservas de metais preciosos.

 

BANDEIRAS.

Eram expedições particulares organizadas pelos paulistas que percorriam o interior do Brasil. Essas viagens duravam meses, as vezes até anos, e contavam com centenas de participantes.

As viagens partiam da cidade de São Paulo de Piratininga, no início do Planalto Brasileiro e percorria o interior utilizando trilhas indígenas e ps rios da bacia platina, como o Tietê, Paraíba do Sul e Piracicaba.

O nome Bandeiras, vem de uma tradição indígena de carregar uma bandeira a frente da expedição.

 

ENTRADAS.

Eram expedições organizadas e financiadas por Portugal, para explorar o interior da Colônia, manter os indígenas afastados da região produtora de cana-de-açúcar e procurar metais preciosos.

 

CONSEQUÊNCIAS DO BANDEIRANTISMO.

As expedições Bandeirantes tiveram como consequências a expansão territorial da Colônia, que avançou sobre o interior do Brasil.

Além disso, no fim do século XVII foi em uma expedição Bandeirante que se descobriram as reservas de ouro da região das Minas Gerais.

As vias utilizadas pelos Bandeirantes passaram a ligar as várias regiões da Colônia, promovendo a interligação regional da Colônia.